Identidade visual, alguns têm… Outros constroem. – Rio Center

Identidade visual, alguns têm… Outros constroem.

 

Sabe aquela menina meio estranha, que todo mundo estava de olho na festa da semana passada? E aquele rapaz que não era lindo, mas chamou sua atenção? Lembra que você já os viu em outros locais e eles acabaram se sobressaindo de alguma forma da multidão? Pois é, dentre outros fatores importantes eles criaram uma identidade visual que te marcou. E é sobre isto que vamos tratar hoje – identidade.

Vika, por The Sartorialist
A identidade se forma da expressão de sua personalidade e da sua interação com o meio social, assim, é necessária a existência de outras identidades para que por meio da comparação alguma se destaque. Como exemplo temos Nayana Gurgel. Isso, eu mesma. Depois de um ano de curso onde ninguém me conhecia, voltei das férias com o cabelo cortado e uma franja reta (dica de @sabrinabzr), e voilà, não mais que de repente até os veteranos me notaram. Neste caso a comparação com o meio fez o seu trabalho e eu mantive a franja reta como um fator de identificação por quase quatro semestres. Depois de um tempo investi em outros elementos, o que acabou fazendo a bendita franja ocupar um lugar secundário e depois sumir.

Sobre a expressão da personalidade percebemos que os “jovens adultos” por saberem o que querem e o que gostam, apresentam uma maior constância em suas produções, diferentemente dos adolescentes que ainda estão experimentando as várias opções oferecidas pelo mercado. De qualquer forma é necessário se manter uma linha na apresentação, pois com o tempo isto vai dar origem ao estilo pessoal. Uma marca, por exemplo, mantem sua essência mesmo passando por melhorias com o tempo, não digo para ser estático, mas é importante mudar de acordo com o que já se foi estabelecido ou aprimorar a imagem antiga, para que com isso se possa realmente pontuar a identidade de cada um. Vendo a marca Chanel percebemos isto claramente, mesmo com a transição entre estilistas e épocas, ela manteve sua essência.

Chanel Primavera/Verão 2010
Assim, mais que dinheiro para sair comprando roupas e acessórios de marcas caras é importante se conhecer, conhecer o seu corpo e o que ele lhe permite, e o seu gosto, pois sem este tipo de conhecimento quase nunca estaremos satisfeitos com os resultados extraídos do nosso closet.

De início aposte em um elemento marcante ou que te valorize por vez, até formar um conjunto de elementos que dialoguem entre si para transmitir a sua proposta de identidade, beleza, moda ou do que quiser chamar. Lembrando somente, que a princípio só quem pode sair com uma melancia na cabeça é a Anna Dello Russo.

Anna Dello Russo

Beijos e obrigada. =]
 

Texto por:

Nayana Gurgel
Publicitária, graduada pela UERN Mossoró.
@NayanaGurgel

Comece a digitar e aperte Enter para buscar

Carrinho